Wahi | Uma meditação sobre miçangas, memórias e mulheres – por Wolfgang Kapfhammer

O caráter informal desse blog "Cadernos do NEAI“ me oferece a oportunidade de publicamente prestar atenção a essas primeiras impressões, que ocupam a cabeça na primeira vista – digamos de um objeto etnográfico numa coleção museológica – e às associações que seguem desobstruídas pelas convenções científicas. A meditação a seguir foi desencadeada por um lado por uma tanga Waimiri-Atroari na coleção Fittkau no Museum Fünf Kontinente em Munique, Alemanha, e pela predileção da minha esposa por uma certa bijuteria da Boêmia do tempo “pre-guerra”. O elemento comum é o uso de avelórios ou miçangas, em ambos os casos provavelmente da origem boêmia. O que segue é nada mais do que uma improvisação sobre temas como contato (in-/voluntário), migração (muitas vezes forçada), trauma e resiliência.

Anúncios

Antropologia & psicologia na virada ontológica: breves notas sobre convergências e divergências – por Ernesto Belo

Nesse texto, Ernesto expõe a controvérsia cientifica entre Durkheim & Wundt na virada do século XIX para o século XX e nos leva a uma outra virada, uma virada que se insere no movimento geral de mudança de paradigma que ocorre na antropologia e que leva o nome de virada ontológica.

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑